TI-AGRO, A VERDADEIRA AGRISOFT

Fazendas: Mudar a Forma de Administrar para Sobreviver

*Marcelo Tacchi

Se olharmos para trás ao longo dos últimos anos veremos que o setor agrícola esteve e está em um momento de transição. Transição esta que exige mudanças na forma de como administramos e gerimos as nossas propriedades rurais.

Até a alguns anos atrás um fazendeiro devia ter como sua preocupação principal a produção de sua lavoura ou o ganho de peso de seu plantel. Hoje, porém, esta tradicional postura do fazendeiro necessita ser revista, e em seu lugar deve surgir o empresário rural profissional, que para ter sucesso deve se preocupar além da produção, com a produtividade e lucratividade de seu negócio.
Os motivos que fazem esta necessidade na forma de gerir o seu negócio são diversos, mas dentre eles podemos citar:

Créditos agrícolas escassos - Os últimos anos demonstraram que o nosso governo vem reduzindo os créditos agrícolas e o atual cenário de impasse de governo e congresso sobre o fator de correção das dívidas levam  na melhor das hipóteses a um atraso na liberação dos créditos para comercialização das safras.

Juros altos - Possuímos o juro mais alto do planeta e talvez a indústria ou comércio consigam conviver com estes patamares de juros, mas uma coisa é certa, o mesmo torna a captação de recursos nos bancos proibitivos para o fazendeiro que coloca tudo na ponta do lápis.

Redução dos ganhos financeiros - Considerando que o lucro será a diferença entre o preço que vendemos nossa produção e o seu custo para produzi-la, o aumento do custo de insumos ou a redução no valor dos produtos agrícolas afetam diretamente nosso lucro, e o pior é não termos controle sobre eles.

MERCOSUL aumentando a competitividade - Saber produzir produtos agrícolas a um baixo custo e de qualidade é fundamental para continuarmos a atender ao mercado interno e evitarmos a concorrência de produtores agrícolas dos nossos vizinhos.

Barreiras alfandegárias no primeiro mundo - Para assegurarmos nossa vocação de pais agrícola exportador de alimentos, é necessário reduzirmos nossos custos de produção para assegurarmos o fornecimento desses mercados nos próximos anos.

Podemos concluir com base nos motivos acima, que o sucesso nos próximos anos do empresário rural dependerá em muito de sua habilidade técnica e administrativa de aproveitar da melhor forma os recursos a sua disposição na propriedade. Novas tecnologias como a informática na gestão rural, em muito poderão ajudá-lo a decidir o melhor caminho a seguir em cada passo do seu negócio.

 

O impasse do produtor rural é: “Ou faz parte da História ou vira parte da História, e só ele poderá decidir”.

* Marcelo Tacchi é formado em Engenharia Agronômica desde 1985, Diretor da SBIAGRO (Sociedade Brasileira de Agroinformática) e Diretor da TI-Agro, voltada para informatização de fazendas, com mais de 16 mil fazendas informatizadas.